Arquivo de Clubes >> Estados >> Paraná >> Malutrom

 

MALUTROM S.A.

malutrom.gif (11929 bytes) Fundação 27 de dezembro de 1994
Endereço Rodovia do Café, Km 5.119 - Santo Inácio
CEP 81200-010 Curitiba/PR - (41) 373 5577
O clube tem como sede oficial São José dos Pinhais
Estádio  Municipal Tancredo Neves (Xingu) - 5 000 -
Uniforme Camisa branca com listras azuis, calção branco e meias azuis
Títulos Campeão da 2ª Divisão do Campeonato Paranaense de Futebol 1998 e Campeão da Terceira Divisão Brasileira 2000(Módulo Verde/Branco da Copa João Havelange)
Internet Site Oficial
Malutrom

2005 Malutrom: Alberto; Piter; Rodrigo De Lazzari, Sílvio e Emerson; Joca, Clóvis, Goiano e Cristiano; Mauricinho e Flávio 
Técnico: Amauri Knevitz

2004
O Malutrom não tem muitas caras novas par exibir. Para ser exato, elas são apenas quatro. O restante do elenco atua no time de São José dos Pinhais, pelo menos, desde o ano passado. Os poucos reforços são o volante Anderson, o zagueiro Ademir e os atacantes Marcelo e Sabiá. O primeiro, vindo do Comercial de Cornélio Procópio, ainda não tem condições de jogo. Os demais, trazidos do São Bento, já são titulares do técnico Mauro Madureira, que dirige a equipe pela segunda vez. Com ele, o Malutrom ganhou a terceira divisão brasileira em 2000.

2003 Rodrigão; Marcelo, Gustavo e Souza; Mauricinho (Alex), Fábio (Helington), Iverton, Dudu, Leandro; Murilo e Edinaldo.
Técnico: Luciano Gusso

08/2002 - O Malutrom está fora do Campeonato Brasileiro da Série B. A desistência foi formalizada ontem, em função do alto custo financeiro e da falta de critérios na distribuição de verbas para a participação dos times na competição.

Antes da posição definitiva, o presidente Juarez Malucelli esteve na CBF, quarta–feira, junto com o presidente da Federação Paranaense de Futebol, Onaireves Rolim de Moura, para saber da viabilidade de pelo menos 10% das verbas destinadas aos clubes da Série A serem canalizadas à Série B.

Segundo o dirigente, apenas isso tornaria possível a participação da maioria dos clubes. Como a entidade negou o pedido, o Malutrom reuniu seu Conselho Deliberativo, e diante da avaliação feita pela diretoria sobre os custos do Campeonato, tomou a decisão de não disputar a competição a três dias de seu início oficial.

"Sabemos o que nos espera, como por exemplo, voltar a disputar o Brasileiro na Série C em 2003 para tentar uma vaga na B apenas para 2004 . Mas preferimos assim do que enfrentarmos problemas de ordem financeira no decorrer do campeonato, como tenho a certeza que vai ocorrer com muitos clubes", disse o presidente de honra do Malutrom, Joel Malucelli.

Os dirigentes entendem que a partir de Lei Pelé, que desestimula a formação de novos atletas, e ainda em função da Medida Provisória 39, que punirá dirigentes esportivos que não cumprirem obrigações fiscais, torna-se extremamente difícil a participação no campeonato.

"Ano passado já encontramos problemas com o deslocamento para alguns extremos do país. Nem os 3 mil reais por viagem nós iríamos receber. Muito menos passagens aéreas. Vejam o exemplo do Paraná que vai viajar de ônibus." completou Joel.

De acordo com o dirigente, houve uma tentativa de parceria com o Iraty, que não passou de estudos. Para amenizar a crise, o Malutrom cedeu seis jogadores por empréstimo a diversos clubes.
Flávio e Rodrigo Batata foram para o futebol português, Tcheco para o Coritiba, Adriano para o Figueirense, Calmon para o Avai e Vitor para o Botafogo do Rio. O clube mantém sua equipe de juniores e talvez programe excursões e até amistosos para preencher o restante do calendário de 2002.

2002 - Mauro Madureira aposta na dupla de ataque com Mauricinho e Calmon. Sandro; Jorge, Gustavo e Fabiano; Aléx, Anderson, Iverton, Reginaldo (Rodrigo Batata) e Tcheco; Mauricinho (Artur) e Calmon.(Nivaldo) Técnico: Mauro Madureira

2001 - Malutrom aposta na fórmula de 2000. No campeão do Módulo Verde/Branco, todos os principais nomes da temporada passada permaneceram no elenco. Só o lateral Ednélson, maior salário, com R$ 3 mil mensais, deixou o time de São José dos Pinhais. Os novos reforços que não estavam no ano passado são o zagueiro Valdo, vindo do Iraty, o lateral-esquerdo Gune, que estava no Prudentópolis, mais os meias Eduardo e Kléber e o atacante Murilo, oriundos da Tuna Luso Brasileira. Entre os 25 inscritos também o lateral-esquerdo Andeson,de 18 anos e o zagueiro Gustavo, de 16 anos, respectivamente das categorias junior e juvenil do próprio clube. Os outros já estavam no Malutrom durante a Copa JH, com exceção do meio-campista Duda que foi emprestado no 2.º semestre de 2000 para o interior do Estado de São Paulo. Rondinelli, Danilo, Valdo, Rafael e Gune; Nivaldo, Reginaldo, Rodrigo Batatinha e Tcheco; Aléssio e Fabiano. Tec: José Tadeu Martins

H A história do Malutrom no futebol começou na década de 80, quando as famílias de dois grupos econômicos tradicionais de Curitiba, Malucelli e Trombini (Malu+Trom) se uniram para jogos de masters.
O que era uma atividade lúdica cresceu tanto que em dezembro de 1994 foi oficializado na Federação Paranaense de Futebol o Clube Malutrom (foto), que começou disputando campeonatos oficiais nas categorias de base.A partir de 1997, o clube estabeleceu uma parceria com a prefeitura de São José dos Pinhais, passando a mandar seus jogos no estádio Tancredo Neves, no Bairro do Xingu. O Malutrom S/A possui sede esportiva em Guaratuba, Morretes, Curitiba e São José dos Pinhais, todos com boa infra-estrutura.
A era no profissionalismo veio somente em 1998, quando a equipe disputou a Segunda Divisão e sagrou-se campeã estadual, acrescentando o 13º título à galeria dos troféus conquistados até então no amador. Foi também em 1998 que o clube deu seu grande passo rumo ao profissionalismo, ao se transformar em Malutrom S/A - primeiro clube-empresa do Paraná e um dos primeiros do Brasil. Atualmente, o clube é dirigido por um Conselho de Administração e uma Diretoria Executiva. Com o novo modelo administrativo, o time chegou entre os quatro finalistas de todos as decisões estaduais, desde 1999.Mas sua maior conquista está registrada no ano de 2000 , quando disputou os módulos verde e branco da Copa João Havelange - que correspondiam à Série C do Campeonato Brasileiro - e foi campeão, com direito ao cruzamento com os clubes das Séries A e B.

Texto extraído de www.futebolpr.com.br

 

Nacionais

Disputou a Série C em 2000, Série B em 2001 e uma Copa do Brasil

 

estaduais

1999 a 2005

 

noticias

Jornal Agora Paraná

malutroncomemora.jpg (37146 bytes)
Fotos - Site Oficial

 

b_info.jpg (7363 bytes)