Arquivo de Clubes >> Estados >> Rio Grande do Norte >> América

 

AMÉRICA FUTEBOL CLUBE

america.jpg (19169 bytes)

Fundação 14 de Julho de 1915
Endereço Av Rodrigues Alves 950 Tirol
CEP 59020-200 Natal/RN Tel. (84) 211 4977
Estádio Claúdio Vasconcelos Machado (Machadão) - estadual, 52000 -
Títulos: Campeão Potiguar 1922, 1924, 1927, 1930/31, 1943, 1948, 1949, 1951/52, 1956/57, 1969, 1974/75, 1977, 1979/80/81/82, 1987/88/89, 1991/92, 1996 e 2002/2003, Campeão do Nordeste 1998 e Taça Almir de Albuquerque 1975
Internet:
www.americarn.com.br americadenatal.com  americarn.cjb.net
América de Natal

2005 - Fora da Série B do Campeonato Brasileiro, o América começa a temporada 2005 querendo dar a volta por cima. A conquista do título Estadual e da Copa RN, que levaria o clube de volta a Copa do Brasil, são os objetivos neste primeiro semestre. O técnico é Wassil Mendes. O retorno de Fernando Pilar e a presença de Zezinho, formando dupla de ataque com artilheiro Reinaldo são as boas notícias.

2004 -
O alvirubro da Avenida Rodrigues Alves começa o ano com uma nova diretoria, presidida pelo Eng. Francisco Soares de Melo e o vice Ricardo Bezerra. O diretor de futebol é o gaúcho Luíz Garcez.

2003 - Gito e Teci são as atrações do time rubro, que tem em Sandro Gaúcho a esperança dos gols. O atacante, que se destacou nas últimas rodadas do Campeonato Brasileiro da Série B do ano passado, tem confirmado a fama de goleador. Marcão; Marcio Silva, Davi e Gito; Edinho, Silva Baiano, Joassis, Teci e Tico; Helinho e Sandro Gaúcho. Técnico: Ferdinando Teixeira.

2002 - Penúltimo colocado no Nordestão 2001, o América por pouco não se classificou para as finais de série B, ano passado. No campeonato potiguar, a equipe perdeu o título para o Corintians, de Caicó. Ao técnico Celso Teixeira restou a obrigação de tentar suprir as saídas dos jogadores que abandonaram o clube ao final do ano, mesmo com pouco dinheiro disponibilizado para contratações. Apenas dois nomes foram apresentados à torcida: o atacante Negretti (Remo-PA) e o meia Juliano (Mogi-Mirim-SP). O elenco foi completado por juniores promovidos. Um dos melhores jogadores do time é o meia Marcelo Borges.  Há três anos no América, o atacante Helinho está confiante em uma boa performance do clube esse ano. Time Base: Marcão; Jeferson, Beto, Leandro e Rogerinho; Silva Baiano, Ricardo Miranda, Juliano e Marcelo Borges; Negretti (Nailson) e Rui Barbosa (Helinho)

2001 - O América Futebol Clube após passar por uma grande dificuldade financeira durante todo o ano 2000 começa a caminhar na direção correta, segundo seus atuais dirigentes. Após a saída do ex-presidente Jerônimo Melo, que já pegou o clube com muitas dificuldades, alguns conselheiros formaram comissões para vários assuntos e estão resolvendo os problemas. Quanto a parte de esporte a comissão resolveu montar uma equipe caseira com jogadores vindos da categoria de junior e mais alguns que ficaram do ano passado. O destaque da equipe são: o lateral esquerdo Róbson Mattis, os zagueiros Romildo e Carlos Mota, e o atacante Helinho. Aparecendo como revelação no início da temporada, Cláudio – ex-junior. Marcos, Cláudio, Carlos Mota, Romildo e Rogerinho; Joassis, Célio (Joelson), Moura (Luizinho) e Baíca (Aílton); Helinho e Tiago. Técnico: Severo Dias

H Inspirados no América do Rio de Janeiro, um grupo de amigos de Natal decidiu fundar um clube de futebol. O nome e o escudo vermelho com as iniciais em letras brancas eram idênticos ao do famoso xará carioca. Pelo América já passaram algumas figuras ilustres do futebol brasileiro, como o treinador Joel Santana, que atuou no time como zagueiro, o lateral Marinho Chagas, o diabo loiro da Copa de 78, e o meia Souza. Conta a lenda que o time foi oficialmente criado apenas em 1918 por causa de uma bola furada. Um coronel, chamado Júlio Canavarro de Negreiros Melo, teria furado a única bola que os rapazes possuiam. Irritados, os americanos decidiram cobrar a pelota na Justiça. Mas para isso, precisavam primeiro ter o nome registrado, o que eles fizeram no dia 3 de julho do mesmo ano. Quem assinou o registro foi o primeiro presidente do Mecão, Oswaldo da Costa Pereira.

O primeiro título veio em 1919. O campeonato foi o primeiro de futebol, promovido pela Liga de Desportos Terrestres. É bom lembrar que no início do século o principal esporte nas cidades litorâneas era o remo. Apenas três equipes disputaram a competição: Centro, América e ABC. Três anos mais tarde, o time consegue o segundo troféu. Em 26, abre o caminho para o primeiro bi da história. Nos anos 50 a equipe colorada repetiu o bi em duas ocasiõe: 51/52 e 56/57. Depois o time mergulhou na fila e a torcida precisou esperar 10 anos para comemorar um título. Nos anos 70 o América fez boas campanhas, sempre marcando presença em campeonatos brasileiros. Foi nesta fase que o revelou o valente Marinho Chagas, um lateral moderno, que chegou à Copa da Argentina, em 78, como titular. Um ano após o mundial, o América iniciou a sua maior série de vitórias no campeonato estadual. O time foi tetracampeão, por isso as quatro estrelas sobre o escudo. Nos anos 90 o América voltou a ser notícia no cenário do futebol brasileiro. O time, liderado pelo habilidoso meia Moura, conseguiu o vice-campeonato nacional da segunda divisão de 96. No ano seguinte o Mecão esteve novamente entre os grandes da Série A. Em 98 o América deu mais uma demonstração de força e venceu a Copa Nordeste, derrotando o Bahia na final por 3 a 1. Texto adaptado a partir do disponível na página do América

 

Nacionais

Participou da Taça Brasil 68, Segunda Divisão 72, da Taça de Prata 84 e 85 e da Segunda Divisão 1991, 94 a 96, 99 a 2004 e da Terceira Divisão 87, 88, 90 e 2005

Disputou ainda de doze edições da Copa do Brasil

 

estaduais

A partir de 1970: Todos

 

noticias

A Tribuna do Norte
Diário de Natal

c_america.jpg (9148 bytes)Machadão - Natal
cor_vs_ame.jpg (15978 bytes)
Foto: Diário de Natal

amer.baraunas.jpg (8288 bytes)

 

b_info.jpg (7363 bytes)