Arquivo de Clubes >> Estados >> Santa Catarina >> Atlético Hermann Aichinger de Ibirama

 

Clube Atlético Hermann Aichinger

hermanng.gif (5684 bytes)

Fundação 20 de Setembro de 1951
Endereço Rua 3 de Maio, 61 - Centro
CEP 89140-000 Ibirama/SC
Estádio Hermann Aichinger (Estádio da Baixada) - 3000 -
Uniforme Vermelho e Branco
Títulos Campeão da Segunda Divisão Estadual 1993 e 2001 e Copa Estadual Amador 1992
Presidente Genésio Ayres Marchetti
Internet www.atleticoha.com.br
A grande surpresa de 2001

2004  O técnico Tonho Gil optou pela entrada de Carlão no gol, que vinha se revezando com Márcio. No ataque o treinador optou por Adílson.

HERMANN AICHINGER: Carlão; Tota, Paulo Roberto e Flávio Luís; Biro-Biro, Bênson, Jorge Luís, Marquinhos e Giovani (Vânderson); Claudinei e Adílson. Técnico: Tonho Gil. 

2003 - O Atético Hermann Aichinger mantém a base de 2002 para tentar surpreender. Biro-Biro, lateral direito. Jogou no Grêmio, Paysandu, Figueirense e Marcílio Dias. Entre os contratados estão o goleiro Pedro Paulo, o zagueiro Júnior Maranhão e o meia Sandro Gomes. O zagueiro Márcio e o atacante Adriano, jogadores que defenderam o Tubarão no Campeonato Catarinense, vão disputar a Seletiva da Série C pelo Atlético Hermann Aichinger. O goleiro Márcio, os laterais Biro-Biro e Gustavo e o zagueiro Tóta renovaram seus contratos, enquanto o meia Felipe e o atacante Vicente permanecem negociando. O técnico Luiz Gonzaga Milioli vai contar também com jogadores revelados nas categorias de base do próprio clube, num trabalho que Jocélio Kreusch vem realizando há alguns anos. São eles os atacantes Adilson e Paulo César, o meia Sérgio, o lateral Tiago, além de Josias, Jair, Odinei, Ariel e Mário Augusto.

2002 -  O Atlético Hermann Aichinger reestréia na divisão de elite do futebol catarinense, façanha garantida após o título da Segundona, no ano passado. O clube aposta na manutenção do entrosado grupo de jogadores para se sobressair nesta primeira fase do Estadual e sonhar com a classificação. Além do técnico Luiz Carlos Gasperim, o clube acertou a renovação dos contratos do preparador físico Carlos Eduardo Gasperim, o Dudu e de mais 13 jogadores que conquistaram o título da Segundona este ano, o que garante a equipe base.  Apenas dois jogadores foram contratados neste ano: o goleiro Fabiano, ex-Brusque, e o atacante Willian Carioca, ex-Avaí.   Os dois pilares da equipe são o técnico Gasperin, comandante do título, e o zagueiro-capitão-dirigente Mauro Ovelha, o símbolo da raça do grupo. O clube investi também no seu patrimônio.  Com a construção de mais uma arquibancada, a capacidade do Estádio Hermann Aichinger vai subir de 3 mil para 5 mil pessoas EB: Márcio; Mauro Ovelha, Tóta e Carlos Eduardo; Biro-Biro, Lita, Miguel, Marquinhos e Gustavo; Régis e Adriano. TÉCNICO: Luiz Carlos Gasperin

2001- Depois de cinco anos desativado por falta de condições financeiras, o Clube Atlético Hermann Aichinger volta ao futebol profissional. Há dois meses o elenco começou a ser formado e, atualmente, conta com 25 jogadores sob o comando o experiente técnico Josélio Kresch, de 40 anos.

hermann.jpg (9649 bytes)
O clube usa ainda seu escudo simplificado

H - O Clube Atlético Hermann Aichinger foi Fundado em 20 de setembro de 1951, sucedendo a Sociedade Desportiva Industrial organizada em julho de 1944 e que na ocasião estava há mais de 3 anos sem atividades;
• A reunião de fundação do C.A.H.A. ocorreu no Bar do Sr. Geraldo Stoll, que contou com a presença dos Srs. Walter Nagel, Fritz Francke, Leopoldo de Souza, Wiegand Scheidemantel, Alberto Lessa, Fides Pettersen, Clemente Pettersen, Olimpio Lessa, Paulo Lippmann, Cuno Stoll, Waldemar Brandl, Engelbert Schaefer, Haroldo Lucas, Curt Stoll, Udo Iuwert, Enio Deeke, Geraldo Stoll, Luciano Patricio, Egon Stoll, Jorge Lucas Jr., Hercílio Lucas, Helmuth Arnold e Walfried Goebel;
• O Clube teve como seu primeiro presidente o Sr. Alberto Lessa e o local da sede e do campo de futebol era alugado.
• Em março de 1955 o Sr. Hermann Aichinger cedeu incondicionalmente o local para o Campo de Futebol e sede do Clube que leva o seu nome.
• Na década de 50 vários pessoas estiveram à frente do Clube, dentre eles podemos destacar: Alberto Lessa, Olimpio Lessa, Wiegand Scheidemantel, Fides Petersen, Curt Stoll, Hermann Aichinger, Ekkehardt Aichinger, Paulo Nüsser, Egon Stoll, Geraldo Stoll, Enio Meneghelli, Oscar Kopsch, Manoel Cipriano da Silva, Manoel Marchetti, Hercílio de Fáveri, Ingo Metzker, Ibá Goitacazes dos Reis, Friedrich Franke, Cuno Stoll e Haroldo Lucas;
• A partir do ano de 1955 participa do Campeonato da 2ª Divisão da Liga Blumenauense de Desportos;
• No mesmo ano iniciam-se as obras para construção do estádio do Clube;
• Durante os anos 50 vários foram os jogos realizados pelo Clube Atlético de Ibirama, e dentre os adversários podemos citar o São Cristóvão-RJ, Novo Hamburgo-RS, Ferroviário-PR, Carlos Renaux e Paysandu de Brusque, Caxias e América de Joinville, Olímpico e Palmeiras de Blumenau, Avaí – Capital.
• Passaram e se destacaram no Clube diversos jogadores, como: Sagüi, Alceste Moser, Fanhô, Emílio Eberspächer, dentre outros.

DÉCADA DE 90

• Fiel a tradição esportiva do Clube, e com o firme propósito de disputar e representar digna e efetivamente o Clube, a Cidade de Ibirama e toda a região do Vale Norte em campeonatos, a atual diretoria, encabeçada pelo empresário Genésio Ayres Marchetti, a exemplo do que toda a família Marchetti realizou ao longo dos tempos e da história do Clube Atlético, começou, após um longo período de inatividade, um trabalho de base com jovens atletas locais, sagrando-se campeão municipal invicto no ano de 1990. Em 1991 participa do Campeonato de Amadores da Liga Vale Norte de Futebol, chegando à 3ª colocação na competição;
• Em 1992 conquista o vice-campeonato amador da Liga Vale Norte de Futebol de Ibirama, e, na continuação dos trabalhos propostos, já buscando maior representatividade estadual e com reforços de atletas da região, sagrou-se Campeão Catarinense de Futebol Amador, garantindo assim, sua credencial para disputar a 2ª Divisão de Profissionais.
• Ainda em 1992, participou em Curitiba do Campeonato Sulbrasileiro de Futebol Amador, representando Santa Catarina. A Competição contou com equipes amadoras representando os Estados de São Paulo, Paraná e Rio Grande do Sul;
• Profissionalizou-se no ano de 1993 e tendo conquistado no mesmo ano o Titulo de Campeão Estadual da 2ª Divisão de Profissionais, assegura sua vaga para disputar o campeonato da 1ª Divisão.
• No ano de 1994 o então e atual presidente do Clube, Sr. Genésio Ayres Marchetti, visando a disputa do campeonato estadual da 1ª divisão, realiza a maior obra de infra-estrutura no clube, com a construção da arquibancada coberta para mais de 2 mil pessoas, ampliação, drenagem e gramado novo no campo de futebol;
• No campeonato estadual de 1994 destacou-se ao vencer por duas vezes a equipe do Criciúma que estava no auge e contava com craques do naipe de Soares, Jairo Lenzi, Vilmar, Da Pinta, Alexandre, Sílvio Criciúma e outros;
• Nesse Campeonato o Atlético de Ibirama chegou a disputar semi-final de turno, terminando a competição entre os oito, numa disputa que contava com 16 equipes;
• Em 1995 disputou o certame estadual, tendo uma boa participação e sempre figurando entre as primeiras colocações;
• Licenciou-se junto a Federação no mesmo ano, assolado pela geral crise econômica;
• Nos jogos dos campeonatos estaduais de profissionais realizados no “Estádio da Baixada” também batizado pelos adversários de “Caldeirão” o Clube contava com seu mascote - O “Capeta” – que entrava em campo antes das partidas, vestido a caráter, e dava voltas ao redor do gramado com o mascote do time adversário “espetado” em seu garfo. E, num fato inusitado, ao ser entrevistado por uma Rádio que cobria o jogo e indagado sobre o que esperava da partida, o “Capeta” respondeu convicto: “Se Deus quiser vamos vencer o jogo”;
• Com passagem pelo Clube destacaram-se os jogadores Sávio, Osmair, Nardella, Treze e Valdir Dias;
• O Atlético voltou a disputar o Campeonato Catarinense de Profissionais da 2ª Divisão em 2001, sagrando-se bi-campeão, conquistando o primeiro e o segundo turno, e vencendo na final o Caixas de Joinville.

Extraído do site do Atlético

 

Nacionais

Série C 2004
Copa do Brasil 2005

 

estaduais

1994, 1995, 2003 a 2005 (Primeira Divisão)

 

noticias

http://www.ibnet.com.br/jvn/

c_fcf.jpg (7877 bytes)c_est.jpg (9321 bytes)
hermann_j.jpg (23335 bytes)

b_info.jpg (7363 bytes)